Empresa Produtos Assistência Técnica Seu Negócio Tecnologia Fale Conosco
                   
                      OK


VENDAS (18) 3652-1260
Rua Itápolis, 140
CEP 16300-000
Penápolis - SP
Entrevista com Prof. Dr. Flávio Portela Santos

Desde a década de 70 o Departamento de Zootecnia da Escola Superior de Agricultura (ESALQ-USP) desenvolve, a partir de seu campus de Piracicaba/SP, um programa de seleção e melhoramento das raças Nelore e Canchim com propósitos acadêmicos (ensino, pesquisa e extensão). Anualmente é realizado um leilão onde são comercializados tourinhos e matrizes avaliados no programa, o que representa uma oportunidade para pecuaristas interessados em genética aprovada por uma das principais instituições de ensino e pesquisa da América Latina.

Nos últimos 6 anos a Sementes JC Maschietto patrocinou este leilão, marcando presença no evento e levando a seus participantes as últimas novidades em sementes e formação de pastagem.

Na entrevista a seguir o Prof. Dr. Flávio Portela Santos, do Departamento de Zootecnia e coordenador do programa, apresenta as principais linhas deste trabalho.

1)   Quais os motivos que levaram o Depto. de Zootecnia a desenvolver um programa de seleção?

O Departamento de Zootecnia da ESALQ/USP iniciou o trabalho de seleção da raça Nelore no início da década de 70 e o da raça Canchim no início da década de 80. No início da década de 70, os professores Moacyr Corsi e Vidal Pedroso de Faria iniciaram o programa de implantação de um sistema de produção de gado de leite e de gado de corte no Departamento, com o intuito de se aplicar na fazenda da Escola os conceitos ensinados em sala de aula, tanto para o treinamento dos alunos como para a prática da extensão rural junto a pecuaristas de leite e de corte. No caso específico do gado de corte, a opção de trabalhar com rebanho registrado para a produção de tourinhos e matrizes, foi em função principalmente da limitação da área física do Departamento. Como os recursos para a manutenção do sistema têm que vir do próprio sistema, a produção de tourinhos e matrizes foi uma forma de agregar valor e viabilizar a fazenda.

O rebanho Nelore teve início com a aquisição de matrizes do rebanho da Fazenda Experimental do IZ (Instituto de Zootecnia) em Sertãozinho. Também foram feitas parcerias com pecuaristas que colocavam vacas no Departamento e as crias eram divididas na desmama.

O rebanho Canchim teve início com a doação de 14 matrizes feitas pela Embrapa de São Carlos e por criadores.

2)   Como está estruturado este programa?

Atualmente o Departamento mantém um rebanho de 140 fêmeas em monta (70 Nelore PO e 70 Canchim), 41 fêmeas de 12 meses, 46 machos de 12 meses, e previsão de nascimento de 125 bezerros para agosto-dezembro.

Durante o verão todo o rebanho é mantido em 35 ha de pastos de capim colonião, brachiarão e mulato, manejados intensivamente com lotação de 6,5 a 8,5 UA/ha. Durante a seca, vacas e novilhas de sobreano são mantidas nos pastos e recebem suplementação com cana-de-açúcar, uréia e mistura mineral.

Tanto os machos como as fêmeas desmamadas (abril-maio) entram em prova de ganho de peso em confinamento durante a seca.

O programa de melhoramento está estruturado no uso de touros provados, através do uso de inseminação artificial.

O rebanho Nelore da ESALQ participa do programa de melhoramento genético da USP - PMGRN. Já o rebanho Canchim participa do programa oficial de melhoramento da raça, o programa Geneplus da EMBRAPA. Além dos dados gerados por esses programas, realizamos a prova de avaliação de touros e matrizes. Tanto machos como as fêmeas entram em prova de ganho de peso logo após a desmama, durante 150 dias. Nos machos avaliamos o ganho de peso, peso final ajustado para idade, circunferência escrotal ajustada para idade, conformação, musculosidade e precocidade de acabamento. Nas fêmeas avaliamos o peso final ajustado, conformação, musculosidade e precocidade de acabamento. Além destes aspectos, são analisados parâmetros de caracterização racial.

As fêmeas superiores são mantidas no rebanho. Um touro de cada raça, com destaque na avaliação de DEPS e na prova, é mantido no rebanho para ser utilizado em uma parcela das fêmeas, normalmente em 25% do total. O restante das matrizes é acasalado com touros provados com sêmen disponível no mercado.

O critério para a escolha dos touros a serem utilizados é baseado nas DEP’s de ganho de peso, circunferência escrotal, musculosidade, precocidade de acabamento e habilidade materna. 

3)   Qual o perfil de pecuaristas que adquirem animais nos leilões que vocês promovem?

Anualmente, no último sábado do mês de maio, é realizado o Leilão da ESALQ. Nesse leilão são comercializados 40 a 50 tourinhos (18 a 22 meses de idade) e 30 a 45 matrizes (novilhas e vacas) Nelore PO e Canchim. A fazenda é mantida com os recursos obtidos no Leilão e com a venda de animais descarte para abate.

De modo geral o perfil dos compradores do Leilão é de pecuaristas da região, com propriedades de médio porte. São na maioria produtores comerciais. Uma parcela menor é representada por criadores de gado registrado.

4)   Quais as metas futuras para o programa?

As metas são melhorar cada vez mais o rebanho e poder oferecer animais de qualidade cada vez melhor aos nossos compradores. Está em discussão a possibilidade de ampliarmos no número de bezerros nascidos por ano, através do uso de transferência de embriões, em parceria com a Fazenda Figueira da Fundação de Estudos Agrários Luiz de Queiroz em Londrina.

Para maiores informações sobre o Programa ligue para (19) 3429-4134



Lançamentos






Parceira




by hmc