Empresa Produtos Assistência Técnica Seu Negócio Tecnologia Fale Conosco
                   
                      OK


VENDAS (18) 3652-1260
Rua Itápolis, 140
CEP 16300-000
Penápolis - SP
Integração Lavoura-Pecuária - Um sistema de produção sustentável

Eng. Agrº MSc. Dirceu Luiz Broch1

1| O que é?
Para melhor entender o que significa a Integração Lavoura-Pecuária serão relacionados a seguir alguns conceitos sobre o tema:
Conceito 1: é ter a propriedade voltada para a produção de grãos e carne simultaneamente;
Conceito 2: é ter as atividades agrícola e pecuária de forma programada, onde uma atividade beneficia a outra e ambas beneficiam o proprietário, o solo e o meio ambiente;
Conceito 3: são sistemas de produção de carne, leite, grãos, fibras ou agroenergia, produzidos em consórcios, sucessão ou rotação na mesma área, buscando efeitos sinérgicos ou complementares para a sustentabilidade do agronegócio.

2| Onde surgiu?
O Sistema de Integração Lavoura-Pecuária na região Centro-Oeste iniciou-se no município de Maracaju (MS), nas propriedades dos produtores Ake B. Van der Vinne e Krijn Wielemarker, no ano de 1989. Oriundos do sul do país, os dois agricultores ficaram fãs do sistema plantio direto na palha que estava se iniciando por lá. Queriam de toda a forma introduzir o sistema em suas propriedades, mas o grande desafio era fazer rotação de culturas e obter palhada, que são dois princípios básicos para o sucesso do sistema plantio direto na palha. Eles tinham em suas propriedades parte da área com atividade pecuária, onde as pastagens de Brachiaria decumbens e Brachiaria brizantha, que foram formadas após a correção da acidez e fertilidade do solo e o cultivo de soja e milho. Ao perceberem que as pastagens poderiam ser a alternativa para fazer ao mesmo tempo rotação de culturas e a produção de palha, fizeram o 1o plantio direto de soja sobre pastagem.

3| Por que surgiu?
No Centro-Oeste (Maracaju/MS), surgiu inicialmente pela necessidade de fazer rotação de culturas com a soja, pois na região Centro-Sul do Estado de Mato Grosso do Sul, devido á alta temperatura noturna e a ocorrência de veranicos, a cultura do milho verão é de alto risco. Outra necessidade era a produção de palha para o plantio direto da soja, pois as plantas forrageiras, principalmente Brachiaria decumbens e B. brizantha e Panicum maximum cv. Tanzânia produzem uma maior quantidade de palha, com maior estabilidade (duração), e por um período maior de tempo, ficando o solo sempre coberto e protegido.
Hoje em dia, além da cobertura do solo para o plantio direto na palha e da rotação de culturas que beneficiam diretamente a agricultura, a Integração Lavoura-Pecuária (ILP) é utilizada para recuperar e/ou renovar pastagens degradadas, pois através da integração, utilizando-se a cultura da soja, o retorno do capital investido é mais rápido, uma vez que após 4 meses do plantio ocorre a colheita e a comercialização da soja, e o fertilizante químico residual e o nitrogênio fixado pela soja produzem uma pastagem de alto vigor e valor nutritivo. Assim sendo, com a agricultura na propriedade, ela possibilita ter uma pecuária mais eficiente e lucrativa.

4| Como está?
A integração está sendo utilizada em várias regiões do país, mas numa adesão aquém do necessário e do esperado. Isto se deve ao fato de que o pecuarista possui a maior parte de suas áreas com pastagem e faz uma pecuária extensiva, extrativista e de baixo investimento – está na cultura do pecuarista fazer pouco investimento na atividade.
Outros fatores que limitam a velocidade de adesão é o alto valor inicial necessário para a correção da acidez e da fertilidade do solo, compra de máquinas, falta de crédito e de seguro agrícola.

5| Benefícios
A primeira etapa para o sucesso da Integração Lavoura-Pecuária é a conscientização do pecuarista e do agricultor para os benefícios do sistema. De forma resumida, seguem os benefícios da agricultura para a pecuária, da pecuária para a agricultura e da Integração Lavoura-Pecuária:
Benefícios da agricultura
(soja) para pecuária
• Retorno mais rápido do capital investido na correção do solo;
• Recuperação da produtividade da pastagem;
• Fornecimento de nutrientes para a pastagem;
• Possibilita a semeadura de pastagens (aveia, milheto, Pé-de-galinha, sorgo, etc) para alimentação animal na entre-safra da soja, época crítica para a pecuária (abril a setembro);
• Facilita a troca de espécie forrageira;
• Rotação de culturas.
Benefícios da pecuária
(pastagem) para agricultura
• Recuperação das características físicas do solo (descompactação e estrutura);
• Aumento no teor de matéria orgânica e da atividade biológica do solo;
• Aumento na capacidade de armazenamento de água no solo;
• Cobertura de solo para o plantio direto;
• Rotação de culturas para a soja, diminuindo pragas e doenças.
Benefícios da Integração
Lavoura-Pecuária
• Aumento na produção de grãos e carne;
• Melhora e conserva a fertilidade do solo;
• Maior estabilidade econômica;
• Maior sustentabilidade;
• Valorização pessoal, profissional e da propriedade.

6| Implementação
Além da conscientização dos pecuaristas, outras etapas são fundamentais para o sucesso da implementação da ILP:
• Informações sobre o tema (fatores de produção e tecnologias);
• Levantamento detalhado do solo (características químicas e físicas);
• Manejo da pastagem;
• Dessecação da pastagem;
• Fertilidade do solo;
• Modelo de semeadora e implementos;
• Clima e infra-estrutura neces­sários para a atividade agrícola.

No sistema de integração não há uma regra definida para estabelecer o tempo que o agropecuarista ficará com soja ou pastagem na mesma área, pois isto depende da realidade e dos objetivos de cada produtor, bem como do preço de mercado atual de grãos e da carne, além do tamanho da área com pastagens degradadas que se tem para recuperar. Contudo cabe alguma sugestão: a) em áreas de baixa a média fertilidade é interessante se cultivar soja por um período mínimo de três anos, com o objetivo de elevar os níveis de fertilidade do solo e obter o retorno mais rápido do capital investido, uma vez que a cada seis meses é possível se produzir e comercializar grãos; b) permanecer com pastagem por um período de 1,5 a 3 anos, pois o pasto se degrada muito rapidamente. Segundo dados obtidos na fazenda Cabeceira, de propriedade do Sr Ake B. van der Vinne, em uma pastagem formada após 3 anos de soja em solo fértil obteve-se no primeiro ano o ganho de 25 @ de carne/ha/ano, no segundo ano o ganho foi de 15 @ de carne/ha/ano, no terceiro ano 9 @ de carne/ha/ano e no quarto ano 4 @ de carne/ha/ano, tendo uma redução no potencial produtivo da pastagem em tono de 40%/ano. Por ser produzida em solo fértil, fica claro que o maior motivo para a redução drástica no potencial produtivo da pastagem é a falta de nitrogênio.

No Sistema Integração Lavoura-Pecuária, o retorno com pastagem definitiva que permanecerá com pecuária num período de 1,5 a 3,5 anos geralmente ocorre no final do mês de fevereiro e/ou início do mês de março após a colheita da soja de cultivar precoce. Deve-se dar preferência para a formação da espécie forrageira isolada e não em consórcio com milho safrinha, milheto ou aveia, pois isto garante uma formação melhor e mais rápida, e utilizar em torno de 600 Pontos de VC/ha. As espécies forrageiras mais indicadas são: Brachiaria brizantha cv. Xaraés (MG 5); Panicum maximum cv. Tanzânia; Panicum maximum cv. Aruana e Brachiaria ruziziensis (permanência de 1,5 anos) . Recomenda-se semeadura com semeadora no espaçamento de 17 a 21 cm e profundidade de 1,5 a 2,5 cm, a utilização de rolo compactador para melhorar o contato das sementes com o solo, possibilitando melhor absorção de umidade pelas sementes e conseqüentemente melhor germinação e formação das pastagens.

Para dar segurança aos produtores que queiram fazer o sistema em suas propriedades, a Fundação MS tem um departamento de consultoria, onde as informações técnicas e o acompanhamento nas fazendas são feitos por técnicos especializados da própria Fundação.

Mais informações
fms.ms@terra.com.br | fone/fax: (67) 3454-2631 / 3454-3194 | cel.: (67) 9973-1611 / 9973-1129 1 Pesquisador da Fundação MS
Obs.: Este material é uma sinopse do texto original de autoria do Dr. Dirceu L. Broch. O artigo na íntegra, com mais dados técnicos sobre levantamento e fertilidade do solo, manejo e dessecação da pastagem, semeadoras e outras informações sobre ILP está disponível em www.jcmaschietto.com.br.


Lançamentos






Parceira




by hmc