Empresa Produtos Assistência Técnica Seu Negócio Tecnologia Fale Conosco
                   
                      OK


VENDAS (18) 3652-1260
Rua Itápolis, 140
CEP 16300-000
Penápolis - SP
Sementes JC MASCHIETTO

Artigo publicado na Revista JC Maschietto ano 03, no 03, set/2005

Semente de Pastagem com Alto Valor Cultural
José Carlos Maschietto
Renata W. Maschietto Batista

Eng. Agrônomos, Sementes JC Maschietto

O mercado brasileiro de sementes para pastagens adota um padrão de comercialização caracterizado por um baixo Valor Cultural (VC)(a), derivado do também baixo percentual de pureza utilizado. Atualmente, como as sementes são colhidas do chão (portanto mais "maduras"), seu índice de germinação é alto - entre 80% e 85%. Neste sentido, uma semente de Brachiaria, normalmente comercializada com VC 34%, apresenta uma pureza de 40% (P40% x G85%). Isto significa que, ao adquirir um saco de 20kg de Brachiaria nestas condições, o pecuarista levará para sua propriedade apenas 8kg de sementes (e, como o índice de germinação é da ordem de 85%, isto representa 6,8kg de "sementes puras viáveis", ou seja, sementes que deverão germinar). O resto - 12kg - é formado por material inerte (terra, torrões e palha)!

Uma outra realidade é encontrada no mercado de sementes de grandes culturas (como milho e soja), que são comercializadas com pureza bastante alta (aproximadamente 100%) e também com alta germinação.

Existe um lado irônico e contraditório nesta situação: o Brasil é o maior produtor e exportador de sementes forrageiras tropicais do mundo. A maior parte dos países da América Latina utiliza sementes brasileiras para formar suas pastagens, e somente adquirem produtos com VC alto (com índices de pureza de até 95%). Assim, o país fornece para pecuaristas de outros países sementes com qualidade sensivelmente superior, enquanto o mercado interno é suprido com produtos com baixos índices de pureza. E a ironia é realçada quando se leva em consideração que o Brasil possui o maior rebanho comercial e é o maior exportador mundial de carne bovina.

Por que se comercializa sementes para pastagens com pureza tão baixa no Brasil??
A primeira explicação é a tradição do pecuarista em utilizar uma quantidade grande de sementes por área na semeadura, acreditando que sem isso não obtém uma adequada formação da área - muitos não acreditam que se possa semear um hectare com menos de 10kg de sementes!!!

Procuraremos no próximo parágrafo desmistificar esta questão e provar ao pecuarista que, utilizando corretamente o conceito de Valor Cultural, é possível formar uma boa pastagem aplicando-se uma quantidade menor de sementes (em kg).

Utilizando-se de uma semente com VC maior, ele irá aplicar MENOS kg de sementes por área, mas o número de plantas resultante será o mesmo. Veja o exemplo: um grama de sementes de Brachiaria brizantha contém aproximadamente 130 sementes. Recomendando-se 10kg sementes / hectare com qualidade de pureza 40% e 85% de germinação (ou seja, VC 34%) obtém-se 3,4 Kg de sementes puras viáveis (40% de 10 Kg x 85%). Em um hectare isto representa 44 sementes por m2 (130 sementes x 3.400g / 10.000 m2). Se utilizarmos o DOBRO de pureza (ou seja, VC 68%) o gasto por hectare cairia para 5 Kg de sementes, porém o número de sementes que deverão germinar é exatamente o mesmo (44 sementes / m2). Isso significa que, ao utilizar uma semente com ALTO valor cultural, sua pastagem formará da mesma forma, já que o número de sementes a germinar por m2 é o MESMO!

Bem, desmistificada a primeira explicação, passemos agora para o segundo motivo: a falta de máquinas adequadas para a semeadura e dificuldade na regulagem com pequenas quantidades de sementes, pois atualmente os equipamentos não são, em sua maior parte, específicos para este fim.

Alguns equipamentos são difíceis de regular com quantidade pequena de sementes. Porém, pode-se misturar a semente com algum outro produto - como, por exemplo, o adubo - que atue como "veículo" a fim de alcançar um volume maior a ser aplicado pelo equipamento de plantio. Devido à carência de fósforo na grande maioria dos solos brasileiros, a maneira mais correta de semear uma pastagem é utilizar o superfosfato simples (em quantidade de aproximadamente 400-500Kg/ha). Assim, este adubo já é um "veículo" para distribuir a semente e facilitar a regulagem dos equipamentos.

Se o equipamento de plantio distribui a lanço e o pecuarista não vai utilizar o adubo fosfatado, ele pode ao menos fazer uso de 15-20Kg deste adubo só a fim de alcançar um volume necessário à regulagem do equipamento (e com isso, utilizando um veículo que vai ser aproveitado pela pastagem!).

Em equipamentos que semeiam em linha em que a caixa da semente não der regulagem para poucos kilos por hectare, caso não pretenda fazer a adubação, pode-se da mesma forma utilizar, na caixa de adubo, uma quantidade suficiente de fertilizante só a fim de misturar com os 5Kg de sementes (do nosso exemplo) para a adequada distribuição na área. Desta maneira são possíveis as regulagens das máquinas fazendo uso de uma quantidade de sementes pequena por área (ou VC alto), sem transportarmos impurezas desnecessariamente. Gostaríamos de aproveitar esta discussão para sugerir aos fabricantes de implementos agrícolas o desenvolvimento de um equipamento simples e barato com dupla finalidade - semeadura e adubação de pastagens.

Vantagens de um VC maior
Uma primeira vantagem a ser destacada é econômica: por que o pecuarista deveria pagar frete para transportar terra e torrões, que representam de 60% a 70% do conteúdo de sacarias de sementes com o VC comercializado atualmente? Isto sem contar que ele pagou por essa terra e esses torrões...

Outra vantagem do uso de sementes com alto VC é que, para se atingir essa qualidade, as sementes de forrageiras passam por um número de máquinas de benefício maior, e com isso aumenta a possibilidade de se eliminar as sementes de plantas daninhas ("pragas") que possam existir no lote, tornando este produto ainda mais puro!

Alguns clientes da JC Maschietto já utilizam sementes com VC alto (adquiridas sob encomenda) na formação de suas pastagens e vêm obtendo sucesso nesta empreitada. E este número deve crescer: pesquisa realizada com clientes da empresa (veja matéria da página 09) confirmou que a maioria deles (82%) tem interesse em adquirir um produto com qualidade superior.

A JC Maschietto tem uma história pautada pelo pioneirismo e pela inovação nos setores de sementes e de pastagens(b). Em diversos momentos críticos de transformação do mercado estivemos à frente com propostas e soluções que acabaram por mudar a natureza do setor. Portanto, nada mais natural do que perseverarmos neste caminho, desta vez procurando conscientizar o pecuarista a mudar um hábito que pode privá-lo de vantagens não só econômicas, mas também operacionais.

(a) O VC é o fator que considera duas das principais características de qualidade das sementes: a percentagem de pureza física do lote (P%) e a germinação (G%), e determina a quantidade de sementes recomendada por área para a semeadura. O VC é, portanto, o resultado da composição desses dois fatores (VC % = P x G / 100).
(b) Para saber mais sobre nossa história acesse www.jcmaschietto.com.br



Lançamentos






Parceira




by hmc